Sábado, 25 de Maio de 2024
26°

Parcialmente nublado

Teresina, PI

Geral Benefício

Arroz importado pelo governo vai custar R$ 4 o quilo

Primeira aquisição, de 104 mil toneladas, está prevista para o dia 21

16/05/2024 às 14h25
Por: Fabio Brito Fonte: Extra
Compartilhe:
Arroz importado pelo governo vai custar R$ 4 o quilo

Os parâmetros para a importação de arroz pela Companhia Nacional de Abastecimento (Conab) foram estabelecidos pelo governo federal. O produto será vendido a R$ 4 o quilo. E a primeira compra já está prevista para a próxima terça-feira (dia 21). Serão adquiridas até 104.034 toneladas do cereal no primeiro leilão.

Para esta aquisição inicial, foram previstos R$ 416,1 milhões. Outros R$ 100 milhões serão reservados para "despesas relativas à equalização de preços para a venda do produto", segundo o governo.

“O governo garante um preço mais justo aos consumidores: arroz a R$ 4 o quilo. Esse é o preço que o consumidor vai pagar do arroz que o governo está importando para abastecer o mercado nacional", disse Paulo Teixeira, ministro do Desenvolvimento Agrário e Agricultura Familiar.

Embalagens de 2kg
O produto deverá chegar ao país pelos portos de Santos (SP), Salvador (BA), Recife (PE) e Itaqui (MA). Depois, será empacotado em embalagem de dois quilos, com a marca do governo federal.

“O arroz que vamos comprar terá uma embalagem especial e vai constar o preço que deve ser vendido ao consumidor”, afirmou o presidente da Conab, Edegar Pretto.

Pequenos mercados
A primeira remessa de arroz importado será destinada à venda para pequenos varejistas e para organizações governamentais de segurança alimentar das regiões metropolitanas de São Paulo, Bahia, Minas Gerais, Rio de Janeiro, Pernambuco, Pará e Ceará.

A iniciativa visa a evitar a alta dos preços. O governo garante que o arroz importado não vai concorrer com os agricultores brasileiros, pois o que for comprado no comércio externo deverá ser repassado apenas a pequenos mercados.

“O governo federal não pensa, em hipótese alguma, em concorrer com os produtores de arroz que passam por dificuldades. Nosso objetivo é evitar especulação financeira e estabilizar o preço do produto nos mercados de todo o país”. É arroz pronto para consumo, já descascado, para não afetar a relação de produtores, cerealistas e atacadistas”, disse Carlos Fávaro, ministro da Agricultura e Pecuária.

A Medida Provisória (MP) 217/2024, que autoriza a Conab a importar até um milhão de toneladas de arroz por meio de leilões públicos, ao longo deste ano, foi publicada na semana passada. E uma portaria assinada na última terça-feira (dia 14) — pelos ministérios do Desenvolvimento Agrário e Agricultura Familiar (MDA), da Agricultura e Pecuária (Mapa) e da Fazenda — estabeleceu os critérios para a compra.

 

* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou que contenham palavras ofensivas.
500 caracteres restantes.
Comentar
Mostrar mais comentários
Ele1 - Criar site de notícias